Facebook Twitter Google RSS

Expectativa de vida no Ceará cresce 3,4 anos

A expectativa de vida dos cearenses cresceu 3,4 anos, alcançando 69,2 anos entre os homens e 77,2 entre as mulheres, segundo estudo da Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social (STDS) e do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT). Além disso, o relatório apontou que as mulheres são maioria entre os idosos, com parcela de 55%. Os dados são do estudo "Dinâmica demográfica e mercado de trabalho na terceira idade: a realidade cearense", divulgado pelo Governo do Estado.

O envelhecimento populacional vem se consolidando no Ceará nos últimos anos, visto que o número de idosos aumentou em 271 mil pessoas, entre 2009 e 2013. É um adicional de 67,8 mil por ano. Assim, de cada 100 pessoas residentes no Ceará, 13 possuem 60 anos ou mais. A expectativa é que o índice de envelhecimento da população deva crescer de 26,7%, em 2013, para 37,2%, em 2020 e alcance 60,2%, em 2030.

De acordo com a STDS, esta ampliação tem reflexos diretos em diversas áreas, como educação, saúde, previdência e, especialmente, no mercado de trabalho. Para o secretário adjunto da STDS, Herman Normando, "essa pesquisa demonstra a realidade do Estado e fomenta o debate para que os gestores e a sociedade pensem medidas para fortalecer ações de saúde, educação e trabalho para as pessoas que estão na terceira idade".

A expectativa de vida dos cearenses é, atualmente, de pouco mais de 73 anos, discretamente acima da média nordestina (cerca de 72 anos), mas ligeiramente abaixo da média nacional (74,9 anos). Em 2013, é resultante das expectativas masculinas (69,2) e feminina (77,2 anos), o que aponta para uma sobrevida das mulheres de oito anos, em relação aos homens.

Mercado

Além do crescimento, a população de 60 anos ou mais respondeu por 13% da população cearense e por cerca de 9% de sua força de trabalho, em 2013. No Ceará, a inserção dos idosos no mercado de trabalho, em termos relativos, é maior que as médias nacional e nordestina.

Esta maior presença da população de 60 anos ou mais no mercado laboral e o crescimento contínuo da população de 15 a 59 anos proporcionam uma tendência de maior pressão sobre o mercado de trabalho estadual. Para os trabalhadores na terceira idade, foram geradas 22 mil novas ocupações, em 2013.

Conforme o estudo, a maioria deles se ocupa por conta própria, na produção para o próprio consumo e, em menor medida, no trabalho assalariado, independentemente de sexo, citando as três alternativas de ocupação mais usuais, com renda de meio a um salário mínimo. "São trabalhadores que possuem um perfil diferenciado, pois são profissionais com atitude, ou seja, têm iniciativa na atividade que desempenham", diz o presidente do IDT, Gilvan Mendes.

Informações do Diário do Nordeste



Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada
Curta a página do Chavalzada no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga o nosso perfil no Twitter www.twitter.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada