Facebook Twitter Google RSS

Jovem negro tem 4 vezes mais risco de ser assassinado no Ceará

No Brasil, jovens negros são mais vulneráveis à violência e correm, em média, até 2,5 vezes mais risco de serem assassinados do que brancos. No Ceará, que está entre os quatro estados onde estes jovens estão sujeitos a uma alta categoria de vulnerabilidade, o negro tem chance 4 vezes maior de ser morto do que um jovem branco.


Os dados são de pesquisa divulgada nesta quinta-feira (7) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com a Unesco e a Secretaria Nacional da Juventude, do governo federal.

A proporção aumenta ainda mais em alguns Estados, como a Paraíba, onde o risco de um jovem negro ser assassinado é até 13,4 vezes maior do que para jovens brancos.

Para calcular os dados, a pesquisa adotou um novo indicador, chamado de IVJ (índice de vulnerabilidade juvenil - violência e desigualdade racial).

O índice, que permite revelar a situação por Estado, incorpora cinco categorias: taxa de mortalidade por homicídios, por acidentes de trânsito, frequência à escola e situação de emprego, pobreza e desigualdade. Os dados se referem a jovens entre 12 e 29 anos.

Situação grave

Quatro Estados têm categoria de vulnerabilidade considerada muito alta: Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Ceará. 

A situação fica mais grave quando observados os dados sobre homicídios. Em Alagoas, o risco de morte de um jovem negro é 8,75 maior que o de um jovem branco. Em Pernambuco, o risco é de 11,57 vezes e, na Paraíba, de 13,4.

Todos os Estados, no entanto, apresentam risco maior para jovens negros -a exceção é o Paraná. Os dados são de 2012, os mais recentes disponíveis. Naquele ano, 29,916 jovens foram assassinados. Destes, 22.884 eram negros.

"Isso mostra o quanto a violência é seletiva no Brasil", diz Samira Bueno, diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Municípios

A pesquisa também traz dados do índice de vulnerabilidade dos jovens à violência nos municípios. Foram analisados indicadores de 288 municípios, com mais de 100 mil habitantes.

Destes, 37 tinham índices de vulnerabilidade considerados como "muito altos", e 44 tinham índices "altos" -juntos, somam 28% do total.

A cidade com maior índice de vulnerabilidade para os jovens é Cabo de Santo Agostinho (PE), onde o índice chega a 0,651, em uma escala de 0 a 1. Em seguida, estão Itaguá (RJ), Altamira (PA), Marabá (PA) e Luziânia (GO).

Já a cidade com menor índice é São Caetano do Sul (SP), onde o indicador de frequência à escola e situação de emprego apresenta valor maior do que em outras cidades.

Fonte: Diário do Nordeste

Foto: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL






Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada
Curta a página do Chavalzada no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga o nosso perfil no Twitter www.twitter.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada