Facebook Twitter Google RSS

Zika Vírus: Ceará é o quarto estado com mais casos suspeitos de microcefalia


O Ceará é o quarto estado brasileiro com mais notificações de casos suspeitos de microcefalia relacionados ao zika vírus. Investigando 192 casos da doença, o Estado fica atrás apenas de Pernambuco, com 1.236, da Paraíba, com 569, e da Bahia, com 450. Os dados foram divulgados, nesta terça-feira (12), no boletim epidemiológico do Ministério Saúde. No anterior, do dia 5 de janeiro, o Ceará ocupava a sétima posição. 

Conforme o ministério, o Brasil investiga 3.530 casos registrados em 724 municípiosde 21 unidades da federação. No último boletim, o País registrava 3.174 notificações. Os números são referentes ao período de 22 de outubro de 2015 a 9 de janeiro de 2016. Foram notificados ainda casos no Rio Grande do Norte (181), Sergipe (155), Alagoas (149), Mato Grosso (129) e Rio de Janeiro (122).

O boletim mostra também que quatro óbitos que ocorreram no Rio Grande do Norte, com malformação congênita, tiveram a relação com o zika vírus confirmada. Esses casos estavam sendo investigados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), que enviou os resultados ao Ministério da Saúde.

“Dois desses casos são abortamentos e dois recém-nascidos a termo (37 a 42 semanas de gestação) que faleceram nas primeiras 24 horas de vida. As amostras foram positivas no teste laboratorial de PCR para vírus Zika. Além disso, as amostras de tecido de ambos os recém-nascidos foram positivas no teste de imunohistoquímica, realizada pelo CDC”, diz o ministério.

De acordo com a Pasta, as investigações realizadas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) mostram que todas as quatro gestantes apresentaram febre e exantemas durante e gestação. O Ministério da Saúde informa ainda que esses resultados reforçam a hipótese da relação entre a infecção pelo zika vírus e o aumento da ocorrência de microcefalia. 

“Esses resultados somam-se às demais evidências obtidas em 2015 e reforçam a hipótese de relação entre a infecção pelo vírus zika e a ocorrência de microcefalia e outras malformações congênitas. No entanto, o Ministério reforça a necessidade de prosseguimento das investigações e pesquisas da alteração do número de microcefalias e outras malformações em decorrência de processos infecciosos”, afirma a Pasta. 

Casos investigados no Ceará

Conforme dados da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o Estado investiga 192 casos de microcefalia relacionados ao zika vírus em 48 municípios de 15 regiões de saúde. No total, desde 2015 até a última sexta-feira (8), o Estado já recebeu 193 notificações, uma delas já foi confirmada que foi o caso da criança que morreu em Tejuçuoca. Dentre os 193 casos, foi detectado a microcefalia em 94,3% (182/193) no pós-parto e 5,7% (11/193) na forma intra-uterina.

Informações do Diário do Nordeste


Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada
Curta a página do Chavalzada no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga o nosso perfil no Twitter www.twitter.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada