Facebook Twitter Google RSS

Quanto o YouTube paga pelas visualizações de vídeos?


Entre US$ 0,60 e US$ 5 a cada mil views, em média, com alguns casos acima ou abaixo desses valores. Isso é uma estimativa, já que o algoritmo usado pelo YouTube é secreto e é praticamente impossível determinar, com exatidão, qual a fórmula usada e qual o peso de cada variável (entenda abaixo). E o valor varia radicalmente caso a caso. O vídeo mais lucrativo da youtuber Bia Jiacomine, dona do canal Eu Não Sou Amélia!, teve 50 mil visualizações e chegou a fazer US$ 3,25 de lucro a cada mil views. Bia tem 34 mil inscritos e 1,5 milhão de visualizações totais. Dá para fazer uma grana. Mas é pouco se comparado a um gigante como PewDiePie, que tem mais de 36 milhões de inscritos e 8,8 bilhões de visualizações (dados de maio). Estima-se que ele tenha um faturamento de algo entre US$ 800 mil e US$ 8,4 milhões por ano com seu canal. E aí, quer entrar nessa?

VIEWS MONETIZADOS

Para ser parceiro do YouTube e poder colocar anúncios, você precisa ter 100% do direito autoral dos seus vídeos (usar música de banda famosa já quebra essa regra). O que conta para o YouTube são apenas as visualizações monetizadas, ou seja, aquelas em que a pessoa interage com um anúncio. Para o ad contar como visto, é preciso que a pessoa clique nele ou, no caso de vídeos, que assista pelo menos 30 segundos

Curiosidade: Usar Adblock e similares faz com que seu view não seja monetizado

CUSTO POR MIL

CPM (abreviação de “custo por mil”) é o valor que o anunciante paga ao YouTube a cada mil views monetizados de um vídeo. Sabe-se que o valor do CPM varia muito, o tempo todo, e o YouTube não é transparente em relação aos critérios. Tudo entra na conta: desde o valor que o anunciante se dispõe a pagar até a relevância dos canais de veiculação. Por isso não há uma tabela de valores. Mas a média é 1 dólar e pouco por mil views

COTA DO YOUTUBE

O YouTube não repassa integralmente o valor do CPM ao dono do canal. Ele retira uma cota antes (o “revenue share”), que é parte de suas fontes de receita. A empresa não divulga o valor oficial de sua cota, mas a cifra que circula em toda a internet, inclusive em veículos especializados, como o Business Insider, é de 45%

TIPOS DE ANÚNCIO

– Anúncio Gráfico é aquele que aparece ao lado do vídeo que você está assistindo. Só para PC

– Anúncio de Sobreposição é aquele banner semitransparente que fica sobre o vídeo. Só para PC

– Anúncio de Vídeo Ignorável é aquele comercial pulável que passa antes, no meio ou depois do vídeo. É o tipo mais popular e pode ser visto no computador, celular, smart TV e videogame

– Anúncio de Vídeo Não Ignorável, como o nome já diz, são comerciais que não podem ser pulados. Duram até 30 segundos e estão apenas no computador e celular

ENVOLVIMENTO

A pergunta que não quer calar: número de inscritos, curtidas, comentários e visualizações contam na grana feita? Apenas indiretamente. O que acontece é que os canais que bombam nesses aspectos geram mais envolvimento (em inglês, “engagement”) e, por consequência, ganham destaque em mecanismos de busca e recomendações. Isso faz diferença no valor de CPM

PAGAMENTO

A contabilidade disso tudo e os pagamentos são feitos com o sistema AdSense, do Google (dono do YouTube), que também contabiliza anúncios em blogs. Cada vez que você acumula US$ 100, o Google faz uma transferência eletrônica internacional para a sua conta bancária cadastrada. Caso você não alcance US$ 100 em um mês, o valor é acumulado para o mês seguinte

NETWORKS

Algo legal que surgiu são as multi-channel networks, empresas privadas que gerenciam e oferecem suporte a canais em troca de uma porcentagem dos rendimentos. Elas oferecem estrutura, mediam transações e podem trazer oportunidades de ganhos. Se um usuário se associa a uma, deixa de ser parceiro do YouTube, que passa a lidar somente com a rede

Curiosidade: Exemplos de networks: Vevo, Machinima (Inside Gaming), Defy Media (Smosh, Screen Junkies) e Maker Studios (PewDiePie, Epic Rap Battles of History)

FONTE$ ALTERNATIVAS

Outras formas de ganhar dinheiro com seus vídeos

Os canais também podem buscar formas diferentes de lucrar, como fazer merchandising (usar ou anunciar um produto dentro do próprio vídeo). A vantagem dessa prática é que o YouTube não come parte do lucro – embora ele deva ser notificado e a ação deva estar de acordo com sua política de anúncios. E, se você for músico e usar o YouTube para veicular suas canções originais, o ECAD (Escritório Nacional de Arrecadação e Distribuição) pode repassar para você um valor baseado nos direitos autorais sobre o total de reproduções – mesmo princípio usado para remunerar os donos das canções tocadas no rádio

FONTES: Mundo Estranho,  Assessoria de imprensa do Google, sites Social Blade, Business Insider, The Trichordist e canal Professor Puppet do YouTube, link






Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada