Facebook Twitter Google RSS

Tremor de terra de 4,7 graus causa pânico em Teresina

Um tremor registrado na manhã desta terça-feira (03/01), assustou moradores de várias zonas de Teresina. Por volta das 09h45, testemunhas relataram correrias dentro de estabelecimentos, ônibus e nas vias da cidade. Dados do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília apontam que o tremor chegou a 4,7 graus na escala Richter e teve início no Maranhão.

“Estávamos trabalhando quando de repente as mesas começaram a tremer, saímos da sala e tinha muitas pessoas  no corredor, sem saber direito o que estava acontecendo”, relatou um servidor da Secretaria de Administração da Prefeitura de Teresina.

“No meu prédio tremeu muito, as cadeiras balançaram, a cama estava tremendo comigo junto, pensamos que era o prédio caindo”, relatou uma moradora da zona Leste.

A secretária de educação do Piauí, Rejane Dias, afirmou que se assustou com a correria no prédio. “Eu ia chegando no prédio e já estava subindo as escadas quando me deparei com algumas pessoas correndo e pedindo que eu saísse as pressas, eu perguntei o que estava acontecendo e disseram que era um tremor. Não foi só a Secretaria de Educação mas todo o Centro Administrativo, temos a impressão que aconteceu em toda a cidade, estamos aguardando para saber o que fazer”, declarou ela.

O tremor também foi sentido na cidade de São Luís. O abalo durou cerca de 15 segundos. 

O caso também foi registrado em Fortaleza, Caxias e Timon.

Geólogo afirma que tamanho da magnitude é raro no Brasil

O geólogo Lucas Barros, da Universidade de Brasília, afirmou que não é comum um tremor desse nível ocorrer no país. “Em termos de tamanho para o Brasil é um pouco raro,  um terremoto de magnitude 5 no Brasil acontece em 1 a cada 5 anos em média, no estado do Piauí e Maranhão é mais raro ainda. Esse tremor de terra aconteceu de Belágua, no Maranhão, que está a mais de 200km de Teresina e mesmo assim foi sentido na capital”, declarou.

“O terremoto pode acontecer em qualquer lugar em qualquer hora sem mandar nenhum recado, a natureza nos surpreende, o que nós sabemos é que de acordo com os estudos eles acontecem em terrenos na sua grande maioria em função de falhas geológicas que se rompem, quando uma falha se rompe abruptamente ela libera uma onda sísmica e faz o chão tremer, nessa região uma falha se rompeu e essa ruptura gerou ondas que se propagaram pelo interior da terra. Terremotos dessa magnitude podem ser sentidos em uma distância maior de 200km, o que fez com que chegasse em Teresina”, afirmou Lucas Barros.

Segundo ele, por regra, os tremores são sentidos de maneira mais forte em regiões mais próximas do epicentro. “É sentido mais próximo do ponto de ruptura, de onde as ondas sísmicas começaram a se propagar, entretanto isso não é regra geral, por isso foi sentido de maneira forte em algumas regiões de Teresina”, destacou.

Informações do Meio Norte, link




Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Assista nossos vídeos www.youtube.com/tvchavalzada
Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada
Curta a página do Chavalzada no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga o nosso perfil no Twitter www.twitter.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada