Facebook Twitter Google RSS

Dicas básicas para pedalar melhor – altura do selim e pisada

Além de cansar seu corpo mais rapidamente, pedalar na posição incorreta pode lhe causar dores e até lesões. Nesse artigo vamos te ajudar a fazer alguns ajustes básicos na bicicleta, para adequá-la ao seu corpo e aumentar sua performance e conforto.

Se você começou a pedalar há pouco tempo ou o faz apenas ocasionalmente, a falta de hábito com o selim (banco) pode ser responsável por algum incômodo, por isso não se assuste se durante as primeiras pedaladas você sentir dores na região do assento. Esse incômodo deve deixar de ocorrer depois que seu corpo se acostumar ao uso do selim, mas se você estiver sentido dores no joelho ou nos pés quando pedala, os ajustes a seguir podem ajudar – embora o ideal seja fazer um bike fit: uma adequação completa da bicicleta à suas medidas corporais, realizada por um profissional.

Altura do selim
Se você nunca se preocupou com a altura do selim da sua bicicleta, provavelmente ele está baixo demais. O selim deve estar ajustado de forma que sua perna fique quase totalmente reta, apenas um pouco dobrada, como na foto abaixo. Novamente, o ideal é que seja realizado um bike fit para chegar a um ajuste perfeito.



Pés no chão
Puxa, mas desse jeito fica alto demais! Eu não vou conseguir colocar os pés no chão quando paro a bicicleta? Isso mesmo: quando parar a bicicleta, você vai ter que tirar o bumbum do assento, descendo do selim para apoiar o pé no solo. É assim que todos os ciclistas experientes fazem, tanto esportistas quanto urbanos, simplesmente por ser a melhor postura, um posicionamento que não vai prejudicar seu corpo. Se você estiver conseguindo apoiar os dois pés no chão quando sentado na bicicleta, significa que você está pedalando com os joelhos muito dobrados, forçando a articulação de forma prejudicial e sem conseguir muita eficiência, correndo o risco de criar lesões e cansando-se mais facilmente.

Com o selim na altura adequada, você deve levantar do assento e posicionar seu corpo um pouco à frente sempre que for parar a bicicleta, de forma que consiga alcançar o pé no chão. Pode ser difícil no começo, mas você se habituará rapidamente e isso se tornará algo bastante natural. A melhor maneira de se acostumar com isso é subir o selim aos poucos, até chegar na posição adequada, em vez de subir tudo de uma vez e ter dificuldade para se adaptar. Mas esse período de transição deve ser bastante curto, para que você não se acomode em uma posição errada, que lhe causará dores no joelho: a cada saída para pedalar, suba um pouquinho.

Uma vez que tiver encontrado a altura correta, faça uma marca no canote (o tubo que liga o selim ao quadro da bicicleta), pois é comum que ele desça um pouco com o tempo e, através dessa marca, você vai perceber que ele mudou de posição e conseguirá voltar ao ajuste correto sem precisar ficar medindo e experimentando novamente.

Inclinação

O selim deve estar exatamente horizontal em relação ao solo. Se ele estiver inclinado para frente ou para trás, seu corpo ficará tentando compensar a tendência a escorregar sem que você perceba, o que poderá lhe causar dores e comprometer sua estabilidade na bike em situações como subidas ou frenagens fortes.



Tipos de selim
Há muitos tipos de selim, cada um voltado a uma finalidade, principalmente quando falamos de uso esportivo. Para uso urbano, a característica principal é a largura.

Selins mais estreitos têm uma performance melhor para uma pedalada mais esportiva, mais ágil. Mas para a pedalada mais confortável e menos performance, geralmente buscada pelo ciclista urbano, recomenda-se um selim um pouco mais largo. Vale a pena testar alguns modelos antes de decidir, pois assim como um selim muito estreito pode parecer duro e pouco confortável, um selim largo demais também pode incomodar algumas pessoas.


Mulheres precisam de um selim um pouco mais largo do que os homens, pois a ossatura do quadril é naturalmente mais larga que nos homens. Para eles, recomenda-se a utilização de um selim vazado no meio, ou que pelo menos tenha uma depressão longitudinal, para proteger a circulação sanguínea na área do períneo – o que pode, em alguns casos, levar a um formigamento ou dormência temporários na região genital após pedaladas longas.

Joelhos
Não pedale de pernas abertas, para não forçar a articulação dos joelhos. Se você estiver pedalando assim, seu selim deve estar baixo demais e você está apoiando os pés de forma errada. Joelhos e pés devem estar alinhados à bicicleta.

Posição da pisada
A parte do pé que deve transmitir força ao pedal é a área na altura da chamada “bola do pé”, logo abaixo do dedão (tecnicamente, a cabeça do 1º osso metatarso). Se você pedalar usando a ponta do pé, o meio ou o calcanhar, pode ter consequências que variam de um cansaço na planta do pé até dores fortes por pressionar nervos durante a pedalada. Além disso, nessas situações você não transmitirá toda a potência das suas pernas ao pedal, perdendo rendimento e se cansando com mais facilidade.

Se você usar uma sapatilha e ela tiver sido regulada corretamente, você usará naturalmente essa área do pé para transmitir força à pedalada. Saiba mais.

Informações do site Vá de Bike, link







Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada