Facebook Twitter Google RSS

Policial Federal suspeito de cárcere privado diz que aplicava multas na mulher por ‘brincadeira’

Em seu depoimento à Polícia Civil nesta semana, o policial federal suspeito de cárcere privado e de aplicar multas na mulher por "mau comportamento" em Teresina/PI, afirmou que os abusos não passavam de uma brincadeira, segundo a titular da delegacia da mulher, delegada Vilma Alves. Ele havia sido ouvido em uma primeira audiência, assim que a mulher registrou o boletim de ocorrência, e agora foi ouvido novamente durante o interrogatório.


Segundo a delegada, a mulher apresentou registros das "multas" que eram aplicadas pelo companheiro. As multas se referiam a supostas infrações cometidas pela esposa dentro de casa. Em uma primeira audiência, o suspeito havia dito que a sua intenção era “disciplinar” a mulher e "ensiná-la a ser mãe".

“Ele aplicava multas por qualquer coisa. Se ela desse banho no filho e a criança escorregasse, ele aplicava uma multa. Se ela molhasse os móveis, ele também multava. Se ela esquecesse a comida fora da geladeira, ele aplicava a multa. Os valores variavam entre R$ 20, R$ 30, R$ 50, e ela mesma era obrigada a anotar as multas e fazer o pagamento a ele”, disse a delegada Vilma.

A delegada solicitou medidas protetivas, que foram autorizada pela Justiça. O policial está impedido de se aproximar e de manter contato com a vítima.

Após a primeira audiência, a mulher havia retornado para casa que dividia com o suspeito, mas posteriormente conseguiu alugar um apartamento e está morando com o filho.

Violência psicológica

Além de policial federal, o suspeito é professor universitário na Universidade Estadual do Piauí. A mulher é professora e escritora. Os dois estão casados há pouco mais de dois anos. A mulher relatou à Polícia que o sonho de ter filhos foi o que uniu o casa. Segundo a delegada Vilma Alves, ela disse em depoimento que nunca imaginou que passaria por uma situação que fosse deixa-la tão abalada psicologicamente.

“Quando ouvimos ele, ela estava presente e chorava muito. Disse, inclusive na frente dele, que tinha muito medo dele e que estava completamente alterada emocionalmente e psicologicamente por conta de todo esse abuso causado por esse comportamento dele, completamente abusivo”, relatou a delegada.

Ainda segundo a delegada Vilma, o policial pode responder pelos crimes de violência psicológica e cárcere privado, pois a mulher era impedida de sair com filho de casa. O caso continua a ser investigado pela Polícia Civil.

Fonte: G1/PI






Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Se inscreva no nosso canal

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada