Facebook Twitter Google RSS

História de Barroquinha Ceará


Tudo começou em alto mar, por volta do século XVII, quando uma tripulação de pescadores de outra região, em função de uma forte tempestade, acabou perdendo a direção e, por medo de não sobreviverem, resolveram fazer uma promessa a Nossa Senhora dos Navegantes para que ela os guiasse. Foi nesse momento que os quatro tripulantes avistaram a Barra dos Remédios, chegaram à terra firme e, a partir daí, começaram uma longa e exaustiva caminhada até encontrar uma pequena vila com humildes casebres cobertos por palhas de carnaúba, onde foram recebidos de maneira simples, mas com muito carinho por um senhor chamado Porfírio de Laborão, que de imediato tratou da hospitalidade deles antes que voltassem à terra natal.

Cumprindo a promessa, os pescadores retornaram com uma imagem de Nossa Senhora dos Navegantes, a protetora de todos que navegam mar a dentro, e, como forma de agradecimento pela sobrevivência, ergueram a capela em sua homenagem. Desde então virou tradição os festejo da padroeira.

Inicialmente, foi dado o nome de Paço Imperial a esse lugarejo devido à passagem de uma comitiva do Imperador D. Pedro II, que foi enviada para socorrer os flagelados da seca. Passando por aqui, eles construíram um poço profundo que então originou o nome Paço Imperial. Posteriormente, foi criado o distrito com a denominação de Barroquinha pelo ato provincial de 07 de junho de 1883 e, pela Lei Municipal Nº 3 de 30 de março de1893, o distrito foi subordinado ao município de Camocim.

Barroquinha foi elevada à categoria de município pela Lei Estadual nº11.432, de 11 de maio de 1988 desmembrando-se de Camocim e ganhado dois distritos, o distrito de Araras e o distrito de Bitupitá e cinquenta e duas localidades distribuídas pelos seus 383,46 km². Essas áreas estão distribuídas entre a faixa litorânea, limitando-se entre o município de Camocim e o Estado do Piauí e a planície situada ao sul.

Em Barroquinha, assim como na maioria dos municípios do interior cearenses, os principais equipamentos institucionais, o comércio mais variado e grande parte dos serviços ofertados encontram-se na sede municipal. Pode-se citar o Distrito de Bitupitá com relevância no setor de atividades voltadas ao turismo, enquanto no Distrito de Araras predominam o uso rural e residencial, com comércio local pouco expressivo.



Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada
Curta a página do Chavalzada no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga o nosso perfil no Twitter www.twitter.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada