Facebook Twitter Google RSS

Whey Protein só ajuda a construir músculos acompanhado de duas atitudes



Primordial na recuperação das células musculares após as microlesões provocadas pela musculação, a proteína deve ser o principal macronutriente na dieta de quem deseja ganhar massa magra (músculos). Encontrada em grande quantidade, principalmente, nos alimentos de origem animal, essa substância costuma ser amplamente consumida pelos frequentadores de academias também na forma de Whey Protein. A eficácia desse suplemento para o ganho de músculos já foi comprovada por estudos, desde que o uso seja associado a uma estratégia nutricional bem elaborada e a treinos específicos.

Para inserir o suplemento na rotina, porém, é necessário procurar a orientação de um profissional da área de nutrição. Apenas ele saberá prescrever o tipo de Whey Protein e a dosagem ideal a ser consumida. Dependendo da filtragem a que o leite é submetido, esse suplemento pode ter três versões. Os do tipo concentrado também possuem carboidratos e gorduras, além de uma boa quantidade de proteína. Já o isolado é quase 100% composto pelo macronutriente. No caso do hidrolisado, o produto passa por hidrólise e a cadeia proteica é quebrada em fragmentos menores, os peptídeos. A diferença é que esse tipo é absorvido mais rápido pelo organismo.

“A velocidade com a qual a proteína é absorvida pouco interfere. O que faz mesmo a diferença é o total ingerido ao longo do dia”, afirmou o nutricionista especialista em obesidade e emagrecimento Rafael Sá.

Com a facilidade de acesso à informação proporcionada pela internet, não são raros os sites de nutrição que apontam o uso de Whey Protein e da creatina como uma espécie de fórmula mágica para se conquistar mais massa muscular. “O uso da creatina é uma boa estratégia para pessoas já treinadas, pois proporciona o ganho de força. Aumentar a creatina em alguém que está começando não faz sentido”, explicou Janine Hampel.

Outros suplementos apontados como ideais para o ganho de músculos são a caseína, a albumina e o BCAA. No caso dos dois primeiros, o objetivo é evitar a degradação dos músculos, já que são proteínas de lenta absorção. O último, por sua vez, é usado, principalmente, para evitar a fadiga. “Dentro dessa perspectiva, é melhor usar a albumina, pelo custo benefício. Já o BCAA só deve ser consumido dentro de uma estratégia nutricional bem específica, no caso de dietas low carb (baixo carboidrato). Do contrário, é melhor consumir carboidrato, que é a fonte primária de energia requisitada pelos músculos”, finalizou Janine.

Informações do Vida Fit, link da matéria.





Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Assista nossos vídeos www.youtube.com/tvchavalzada
Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada
Curta a página do Chavalzada no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga o nosso perfil no Twitter www.twitter.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada