Facebook Twitter Google RSS

Anvisa aprova o registro de novo medicamento para tratamento do câncer

Foi publicado, nesta segunda-feira (30), o registro de um novo medicamento para o tratamento do câncer. O medicamento Dalinvi tem como princípio ativo a substância (daratumumabe) e foi aprovado para o tratamento do mieloma múltiplo. 

Este tipo de câncer tem início na medula óssea. Neste caso, os plasmócitos - células que normalmente produzem anticorpos - tornam-se malignos, atingindo as demais células e ossos do corpo. 

O daratumumabe foi aprovado na Anvisa para duas indicações terapêuticas específicas: 

- Em combinação com bortezomibe e dexametasona, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos um tratamento prévio; 
- Em monoterapia, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos três linhas de tratamento prévio, incluindo um inibidor de proteassoma (IP) e um agente imunomodulador, ou que foram duplamente refratários a um IP e um agente imunomodulador.

O que é mieloma múltiplo?

O mieloma múltiplo é um câncer incurável que ocorre quando as células plasmáticas malignas crescem em descontrole na medula óssea. A sua evolução pode variar muito de paciente para paciente, exigindo avaliação criteriosa para a definição da melhor abordagem. 

Além disso, existe um grande problema de diagnóstico correto, que pode ser feito por meio de exames específicos. 

“Muitas vezes, o paciente chega reclamando de dores ósseas, ou algum problema renal e, por estarem numa faixa etária mais avançada, as queixas são tratadas com normalidade. Porém, se olharmos com mais critério e pedirmos exames adicionais para detectar anemia e quantidade de cálcio presente no corpo, por exemplo, poderemos detectar o mieloma” explica Dr. Jairo Sobrinho, hematologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

De que forma é feito o novo tratamento?

Atualmente, o tratamento da doença no Brasil é feito com quimioterapia, administração de corticoides ou transplante de medula. Neste contexto, a aprovação de daratumumabe representa uma grande evolução, pois os estudos com o novo medicamento mostram que a droga posterga a recaída da doença, reduzindo o risco de piora em 67% vs. o tratamento padrão da doença, recaída ou resistente quando combinado com bortezomibe e dexametasona, além de aumentar a taxa de resposta global do tratamento para 84%. 

Quando utilizado logo no início, em 2ª linha de tratamento, a redução do risco de avanço da doença chega em 78%, sugerindo que os pacientes que utilizam antes tenham maior benefício. Daratumumabe é uma opção na falha da primeira linha de tratamento.

Informações do Diário do Nordeste, link






Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Estamos no YouTube!

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Entretenimento

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Siga no Google+

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada