Facebook Twitter Google RSS

Ex-catador de latinhas, cearense é selecionado para estudar em Harvard


O professor Ciswal Santos, 31, foi selecionado para estudar na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, uma das mais tradicionais do mundo. O cearense, de Juazeiro do Norte, já trabalhou catando latinhas de cerveja em um bar da cidade para se manter na faculdade.

O ex-catador de latinhas conta que fazia bicos para comprar o material escolar. Ele vai estudar para desenvolver o projeto que pode gerar energia solar de forma sustentável com um aparelho que custa um pouco mais de um salário mínimo.
Continua depois do anúncio
Hoje professor de Ciências da Computação, o juazeirense entrou na faculdade aos 16 anos e com muitas dificuldades. "Sou filho de uma faxineira; minha mãe, Valdenora, sempre trabalhou para nos dar comida. Só que precisava de dinheiro para comprar materiais, farda e xerox de apostilas, pois não tinha como comprar livros”, relembra o professor.

O projeto

A ferramenta é orçada atualmente em cerca de R$ 2,2 mil. "Ainda não é o preço que eu quero. Já tive contato com pessoas que desenvolvem tecnologia asiática - que está bem a nossa frente - e podemos fazer uso dessa tecnologia para reduzir o custo do equipamento para R$ 1,2 mil”, revela o professor, que completa: “o objetivo final é baratear para um salário mínimo, para que qualquer trabalhador possa comprar."

"É um projeto que supre energia para iluminação e muitos equipamentos, ele só não sustenta motores mais potentes, como os de geladeira e máquina de lavar", explica o autor da ideia.

Harvard

Durante essa etapa do projeto, explica Ciswal, ele não pode receber nenhum financiamento privado para criar a máquina de energia solar. "Pela política da Universidade de Harvard, ainda não pode receber valor de empresa privada, é contra os valores deles", completa Ciswal.

Ele vai receber aulas on-line de professores de Harvard por 18 meses, com a possibilidade de estender o período letivo por mais 18 meses, e a partir daí angariar recursos públicos e privados para criar o equipamento de energia solar sustentável.

Começo difícil

Ciswal teve que trabalhar pesado, acordando cedo, trabalhando em supermercado e catando latinhas depois das aulas, antes de chegar a Havard. “Comecei a trabalhar em um mercantil ganhando R$ 20 por semana, porém às vezes nem recebia, pois levava comida do mercantil para casa e era descontado", conta o ex-catador de latinhas.

"Como o dinheiro era pouco, vi no lixo a oportunidade de suprir minha necessidade e minha vontade de estudar. Quando eu saía da faculdade à noite, andava pelos bares de Juazeiro do Norte catando latinhas de cerveja para vender no quilo, isso eu ainda fardado", lembra o professor.

A vontade de desistir foi grande, mas o professor recebeu apoio de onde menos esperava. "Me senti um nada e chorei. Contei ao proprietário do comércio o motivo, ele colocou a mão no meu ombro e disse que eu não precisava me envergonhar e que eu não fosse mais lá tão tarde e usasse esse tempo para estudar”, comenta.

“Ele falou que guardaria essas latinhas para eu pegar pela manhã", diz o professor, "assim eu me formei, graças a esse anjo e às latinhas de cervejas que peguei no lixo", finaliza.

Informações do Diário do Nordeste

Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Se inscreva no nosso canal

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada