Facebook Twitter Google RSS

MEC corta 30% das verbas destinadas ás Universidades Federais

Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O MEC (Ministério da Educação) informou, na noite de ontem (30), que o corte de 30% dos repasses de recursos federais valerá para todas as universidades e institutos, e não só para UnB (Universidade de Brasília), UFF (Universidade Federal Fluminense) e UFBA (Universidade Federal da Bahia). A informação é do secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Barbosa de Lima Junior, em entrevista à TV Globo. O anúncio acontece após declaração do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de que o MEC cortaria recursos de universidades que não apresentassem desempenho acadêmico esperado e estivessem promovendo "balbúrdia" em seus campi. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Weintraub citou UFF, UnB e UFBA como alvo dos cortes. 

"Universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas", disse o ministro. Weintraub afirmou, ainda, que as universidades têm permitido que aconteçam em suas instalações eventos políticos ou festas inadequadas ao ambiente universitário, e disse que as instituições deveriam estar "com sobra de dinheiro" para fazer "bagunça e evento ridículo".

A fala de Weintraub foi criticada. Para especialistas, a medida fere o princípio da autonomia universitária, previsto na Constituição, além de desconsiderar o desempenho das instituições.

Em nota, a UnB afirmou que não promove eventos de cunho político-partidário em seus espaços e disse que é uma das instituições com desempenho máximo no IGC (Índice Geral de Cursos), avaliação oficial do próprio MEC para cursos de graduação. Já a UFF falou em "consequências graves" para o pleno funcionamento da universidade caso o corte de 30% da verba seja confirmado.

À TV Globo, Lima Junior disse que o "bloqueio", que valerá para todas as universidades e institutos federais no segundo semestre deste ano, foi feito "de forma preventiva" devido ao cenário econômico do país. O secretário afirmou ainda que o corte pode ser revisto caso a reforma da Previdência seja aprovada.

O corte, segundo ele, será de "30%, de forma isonômica para todas as universidades, no segundo semestre", o que pode ser reavaliado frente a um cenário econômico "positivo" --no caso, a aprovação da nova Previdência.

Lima Junior afirmou, ainda, que o MEC passará a adotar critérios como a qualidade do ensino e a inserção dos alunos no mercado de trabalho para a liberação de verbas para as universidades.

Fonte: UOl


Segunda parte da postagem


Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Se inscreva no nosso canal

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada