Facebook Twitter Google RSS

Ceará convoca 1,2 mil policiais militares da reserva para reforçar combate à onda de violência

Foto: Fernanda Siebra/SVM

O Governo do Ceará vai convocar 1,2 mil policiais militares da reserva para reforçar o combate aos ataques coordenados por facções criminosas no estado. A convocação é possível após aprovação de lei na Assembleia Legislativa, em sessão extraordinária nesse sábado (12), durante o recesso parlamentar. Além dos PMs, o Ceará receberá um reforço de mais de 350 policiais rodoviários federais.

"É importante esclarecer que são aqueles policiais que foram para a reserva nos últimos cinco anos, não são de tanto tempo. É uma ação de curto prazo. A gente vai fazer uma avaliação da parte médica e física e destinar quais atividades. Um exemplo é que a gente está tendo a necessidade de ocupar alguns pontos, que não é do dia a dia da Polícia, e a gente pode ocupar com esses policiais", disse o secretário da Segurança Pública, André Costa, em entrevista nesta segunda-feira (14).

Os policiais da reserva vão atuar no combate a ações de facções criminosas cujos chefes ordenaram, de dentro dos presídios, a sequência de mais de 200 ataques em 44 municípios do Ceará.

Além de convocar policiais aposentados, o pacote aprovado na Assembleia inclui as seguintes medidas:

Lei da Recompensa, que paga em dinheiro quem denunciar autores de ataques ou fornecer informações que possam prevenir crimes;

Retirada das tomadas em celas de presídios, para evitar que criminosos possam usar carregadores de celular;

Aumento de 48 para 84 o máximo de horas extras que policiais civis, militares e bombeiros podem fazer por mês;

Restrição da presença de pessoas no entorno dos presídios, com objetivo de evitar fugas;


Reforço na Polícia Rodoviária

O Ministério da Justiça confirmou que enviará reforço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para o estado. A equipe será composta por 335 homens e mulheres dos 26 unidades da Federação, além de mais 15 do Ceará.

Os agentes vão realizar o patrulhamento em pontos estratégicos das rodovias federais e prédios públicos da União para evitar novos ataques. Os policiais vão começar a trabalhar nesta terça-feira (15).




Ordem dos crimes

A sequência de crimes no Ceará é uma tentativa de fazer com que o secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuqurque, desista de medidas que tornam mais rigorosa a fiscalização no sistema penitenciário.

Áudios compartilhados entre membros de facções do Ceará revelaram ordens de presidiários para que comparsas ataquem veículos e prédios públicos. As mensagens chegaram até as autoridades após a apreensão de 407 aparelhos de celulares nos presídios, em 6 de janeiro. "Vocês vão tirar esse secretário aí dos presídios. Vocês vão ver, vai piorar é pra vocês", ameaça um criminoso.

Em outro áudio, um detento ordena: "Uns toca fogo na prefeitura, uns toca fogo nas coisa lá dos policial, tá ligado?" O Palácio Municipal da Prefeitura de Maracanaú, na Grande Fortaleza, foi um dos 49 prédios públicos atacados no Ceará. "Agora a bagunça vai começar é com força", diz outra mensagem de áudio. “Agora nós vamos parar os ônibus, vamos tocar fogo com vocês dentro”, ameaça um terceiro detento.

governo criou a secretaria de Administração Penitenciária e iniciou uma série de ações para combater o crime dentro dos presídios.

O novo secretário, Mauro Albuquerque, coordenou a apreensão de celulares, drogas e armas em celas. Também disse que não reconhecia facções e que o estado iria parar de dividir presos conforme a filiação a grupos criminosos.

Criminosos começaram a atacar ônibus e prédios públicos e privados. As ações começaram na Região Metropolitana e se espalharam pelo interior.

O governo pediu apoio da Força Nacional. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o envio de tropas; 406 agentes da Força Nacional reforçam a segurança no estado. Ministério da Justiça também enviou reforço da Polícia Rodoviária do Federal.

A população de Fortaleza e da Região Metropolitana sofre com interrupções no transporte público, com a falta de coleta de lixo e com o fechamento do comércio.


A onda de violência afastou turistas e fez a ocupação hoteleira no estado cair. 35 membros de facções criminosas foram transferidos do Ceará para presídios federais desde o início dos ataques, segundo o último balanço do Ministério da Justiça.

Foto: Arte G1

Fonte: G1/CE

Viu algum erro na matéria? Avise pra gente por aqui ou nos comentários.

Se inscreva no nosso canal no YouTube!

Quer receber conteúdo EXCLUSIVO? Se inscreva na nossa área vip clique aqui
Curta nossa página no Facebook www.facebook.com/chavalzada
Siga nosso perfil no Instagram www.instagram.com/chavalzada
Baixe nosso aplicativo móvel www.app.vc/chavalzada


Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos!

Deixe seu comentário, nós agradecemos:

0 comentários :

Deixe sua opinião nos comentários, nós agradecemos! As opiniões contidas nos comentários são de responsabilidade dos autores dos mesmos.

O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Salmo 23

Se inscreva no nosso canal

Educação

MAIS DESTA CATEGORIA

Tecnologia

MAIS DESTA CATEGORIA

Emprego

MAIS DESTA CATEGORIA

Arquivo do blog

Se inscreva e receba conteúdo exclusivo

Sobre o blog

O Chavalzada foi criado em Novembro de 2010 e desde estão faz parte da vida do Chavalense, trazendo muita informação, entretenimento e cultura.
O Chavalzada é atualizado por Welligton Magalhães e Marcelo Silva.
O blog também conta com vários colunistas e colaboradores. Quer saber mais? Visite nossa fan page www.facebook.com/Chavalzada